quarta-feira, 1 de junho de 2011

Discurso Vazio

Na cidade pessoas andam
neste fim de tarde
como se a casa fosse nos libertar
sim libertar entre paredes

chego em casa
tiro a mascara de servo para tomar banho
me enxugo bem devagar
esquecendo as costas porque não?!

agora sim sou livre
livre até os olhos e ouvidos de meu vizinho
livre até o ronco de meu estomago
eis que comi um bom pão com manteiga

esta na hora de pensar agora
não esta?
Mas ligo a TV
e pensam por mim

cada propaganda
é uma espera
ainda vou conseguir desliga-la
e quando faço meu sono me pega de jeito

a culpa de não pensar livre é de Orfeu

Não, espera ai! eu não poderia pensar nestas coisas
se pensam por mim quem é este que escreve
um eu totalmente alheio e esquizofrênico
ou talvez apenas uma incoerência eu-lirica

neste mar de incoerências
o que não seria mais uma
eu que não penso pensar
eu que não falo falar

sim é assim que andam as coisas
e assim que vai continuar andando
enquanto eu puder desligar a TV
vou continuar acreditando na humanidade

Um comentário:

Tiago M? (o Berro d'água) disse...

valew a benção poética para o meu filho


e o seu como esta?