domingo, 10 de fevereiro de 2013

A força do agora

O trabalho
A culpa
Ausencia estampada no rosto
Refletida no choro da criança

Quem há de curar o tempo?
Quem há de viver a vida?

2 comentários:

Alexandre disse...

Opa, amigo! Que bom ter recebido sua visita no Cárcere. Estou por aqui também!

O trabalho, a culpa, a ausência...é o aço, é o aço, é o aço.

Vou vasculhar aqui depois, com mais calma. Valeu...Abração

Alan André de Figueiredo disse...

É verdade Alexandre é o aço e o oleo.

Sigamos

Alan