quinta-feira, 19 de julho de 2012

A pergunta

O Tempo passa
ou passamos por ele?
de tal forma
que todos dizem:

“Como passou rápido
já tá grande esse menino
o tempo passou e eu nem vi”

Como pode?
Onde estava vivendo?
No trabalho?
Na TV? Cade sua vida?

O que é viver?

Que respondam todas as perguntas!

mas quem há de responder essa?
Qual ciência há de passar a linha
Se arriscar diante do indizível
Qual metafísico achará a grande verdade?

Me polpem dos papeis impressos
Das pompas modernas
Recheadas de uma limpeza imunda
De um falar para tolos

Aproveitar a vida?!
Viver com os cofres cheios?!
Rodeado de coisas e pessoas?!
Será isso a vida?!

Ou essa é a vida que devo desejar?

“Deseja-me
Mas deseja-me com força
Vai que aconteço”

Assim vão desejando
mal sabendo que o desejo faz parte da vida
Mas desejando vão vivendo
sorrindo chorando mas vivendo

Cada passo
cada tempo e segundo
vai passando
e passamos pela vida

Como é bom viver!

O que eu quero é Vida
viver para ver o que se passa
o que fica
ou que acho que fica

Viver para buscar a vida
Um sonho desperto que não me acordo
O nó na gargantas dos sábios
Dos que sabem mas não falam

Quero passar
e viver A minha vida

nada mais que isso
Porque se tiver estraga

2 comentários:

Rosevarte de Souza disse...

Olá André,

O tema vida-existência-tempo é sempre algo que me persegue. É impossível ser humano e não pensar sobre esta "trindade". Apreciei muito a maneira como você trouxe o trivial à tona, mas, ao mesmo tempo, fazendo o papel do poeta e filósofo, destrivializando o óbvio que está em nossa frente.

Um abraço,

Rosevarte

Alan André de Figueiredo disse...

Obrigado Souza

Gostei de seu comentario
voce realmente leu A pergunta
Viva la vida!

Até Alan